sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Mato Grosso do Sul: Tribunais de Contas unificam ações pela excelência na Gestão Pública

Mato Grosso do Sul: Tribunais de Contas unificam ações pela excelência na Gestão Pública

O esforço ficou evidente nesta semana, quando as Cortes de Contas de todos os estados brasileiros, se fizeram presentes no Encontro Nacional do Instituto Rui Barbosa ‒ Região Sul,  em Porto Alegre e que, contou ainda, com a participação dos ministros do TCU, Augusto Nardes e Bruno Dantas.

Depois de consolidarem parcerias para estabelecer indicadores nas áreas da educação e saúde, os Tribunais firmaram um protocolo para apontar a qualidade no setor da Segurança Pública, onde analisando o planejamento e por meio de uma radiografia minuciosa, identificar limitações de desempenho e estudar estratégias de soluções globais.

A universalização das ações por meio da Rede Nacional de Indicadores (Indicon) vai permitir comparar e disponibilizar, cada vez mais, dados sobre contas públicas e gastos governamentais. Este trabalho conta com a coordenação do TCU que utiliza o Índice Geral de Governança (IGG), como ferramenta de medição com mais de 300 indicadores, que permite avaliar a qualidade da gestão, tanto da administração direta como indireta e assim reconhecer e incentivar as boas iniciativas do bom gestor.  

E nesse contexto o Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul tem dado uma significativa cooperação.  O presidente Waldir Neves que se empenha em participar de todos esses encontros técnicos, implementou no TCE-MS um modelo de gestão focado na qualidade e modernidade da gestão pública por meio de indicadores. Graças a essa nova visão, a Corte de Contas do MS tem sido referência em avaliação dos indicadores nas áreas da saúde, educação e meio ambiente. 

O presidente do Tribunal de Contas do Rio Grande do Sul, Marco Peixoto, agradeceu a presença dos representantes dos TCs, ressaltando a importância das ações de fiscalização especialmente no momento atual brasileiro. Em seu discurso alegou que a recente decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), em que as Câmaras de Vereadores devem apreciar, em última instância, as contas de governo e as contas dos gestores municipais, pode vir a desnaturar o sistema de controle externo construído no Brasil e, ainda, fortalecer mecanismos políticos que alimentam a impunidade. O assunto provocou até uma reunião extraordinária entre os membros dos Tribunais presentes ao evento com a finalidade de discutir estratégias para reverter a decisão do STF que interfere na Lei da Ficha Limpa.

O Ouvidor do TCE-RS e Vice-Presidente de Relações Institucionais do IRB, Conselheiro Cezar Miola, atendendo ao pedido do presidente Sebastião Helvecio, falou em nome do instituto e reafirmou o compromisso da Casa do Conhecimento dos TCs em produzir e difundir informações, agora coordenando, em todo o país, a medição do Índice de Eficiência da Gestão Municipal (IEGM).

Propôs o debate e compartilhamento de experiências, saberes e dificuldades na atuação das nossas Ouvidorias e Corregedorias, chamando os TCs para “o diálogo com a sociedade, sobretudo para ouvir seus reclames, fortalecendo e ampliando as teias do controle, e para exercer a vigilância interna sobre o nosso próprio agir”, finalizou.


Assine aqui gratuitamente o BLOG PREVIDÊNCIA JÁ e receba às atualizações por Email


Print Friendly and PDF

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Siga o Blog Previdência Já no Facebook

Seguir por email